Cotia é a primeira cidade brasileira a banir canudos

De acordo com a lei sancionada no fim de junho, os estabelecimentos devem oferecer aos consumidores versões de papel biodegradável ou reciclável.

0
2792

Engajada e atenta ao movimento global, em maio de 2018 a Revista Circuito lançou a campanha #oultimocanudo e buscou apoiadores, inclusive das autoridades publicadas da cidade de Cotia, na Grande São Paulo. O resultado foi que, com texto sugerido pela Circuito, o Legislativo aprovou, por unanimidade, em 12 de junho, o Projeto de Lei nº 21/2018, que logo seguiu para sanção do Executivo.

A Lei nº 2021, sancionada em 22 de junho e publicada no dia 04 de julho de 2018, obriga restaurantes, lanchonetes, bares e similares, barracas e vendedores ambulantes da cidade a usar e fornecer a seus clientes somente canudos de papel biodegradável ou recicláveis, individualmente e hermeticamente embalados com material semelhante. “Abraçamos a proposta de proibir o fornecimento de canudos de plástico em Cotia, pois é cada vez mais urgente a necessidade de políticas públicas que preservem o meio ambiente. Cotia sai na frente com esta lei de tamanha importância para a preservação dos recursos naturais. É cuidado com o meio ambiente e com os animais. A partir de agora, será dado início às ações conjuntas entre as secretarias envolvidas no assunto e, a partir de janeiro de 2019, quando finda o prazo de adequação e a Lei começa a vigorar na prática, será feita a fiscalização nos estabelecimentos comerciais”, comentou o prefeito Rogério Franco.

A lei entrou em vigor na data de sua publicação, surtindo seus efeitos a partir de 1º de janeiro de 2019. O descumprimento acarretará multas entre 120 e 240 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (UFESP’s).

Tendo em vista a necessidade de um tempo de adequação às novas normas, a Revista Circuito pretende incentivar a participação de empresários, empreendedores e profissionais liberais na fiscalização, com a adoção da chamada “Multa Moral”.

 

 

Deu na mídia

Ana Maria Braga noticiou, no programa global Mais Você de 19 de julho, que Cotia foi a primeira cidade brasileira a proibir a venda e a distribuição de canudos plásticos. “Boa, Cotia, mandou bem”, comemorou Louro José. A mídia impressa, como a Revista Exame, também destacou o feito.

 

Depoimentos

“Repensar o uso de canudos plásticos no dia a dia é uma tendência mundial. O impacto que esse tipo de lixo causa no meio ambiente é grande. Por isso, é essencial que as pessoas comecem a despertar para a necessidade de revisar seus hábitos, optando por produtos biodegradáveis. A iniciativa da REVISTA CIRCUITO, de abraçar essa ideia, é importante, porque dá visibilidade a um tema global e faz todos refletir sobre o uso consciente de produtos no nosso dia a dia”, prefeito Rogério Franco

“É um projeto de extrema importância ao qual a REVISTA CIRCUITO tem se empenhado. Recebi uma ligação da Gabriela Napolitano, que logo me perguntou se eu usava canudinho, e respondi que já havia muito tempo que não. Conversamos a respeito deste projeto, ela apresentou sua ideia e o resultado foi o projeto aprovado pela Câmara! É muito importante para a nossa cidade, para o nosso Estado, para o nosso país”, Paulinho Lenha, vereador e presidente da Câmara Municipal de Cotia

“Nossa sociedade é tão viciada em plástico que nem percebe que objetos que usamos por alguns minutos, como “canudinhos”, demoram 200 anos para se decompor! As grandes mudanças começam com pequenas atitudes, por isso, como ex-morador de Cotia, fico orgulhoso por saber que a REVISTA CIRCUITO, com a qual colaborei em diversas ocasiões, e a Câmara de Vereadores estão dando esse pequeno grande passo para a preservação da natureza e dos oceanos ao proibir o uso de canudos plásticos no município”, mergulhador e documentarista Lawrence Wahba

“Uma campanha mundial que combate o uso do plástico no dia adia está tomando volume em todo o planeta. Estudos apontam que, em 50 anos, o peso do plástico nos oceanos será superior ao peso dos peixes que ali vivem. A iniciativa de nossa querida REVISTA CIRCUITO, junto às autoridades municipais de Cotia, para a proibição dos canudos de plástico, mostra que, sim, é possível, a partir de pequenos núcleos, realizar grandes transformações. Parabéns, CIRCUITO, vocês nos orgulham. Parabéns, Cotia, por ser uma das primeiras cidades no Planeta a adotar esta medida moderna de conservação”, biólogo Richard Rasmussen

Estado também caminha para a proibição

A guerra ao uso de canudinhos de plástico, aos poucos, ganha mais adesões. Recentemente, a Starbucks anunciou que, até 2020, deixará de usar o acessório em todas as 28 mil lojas no mundo. A rede de fast-food McDonald’s anunciou que vai substituir os canudos de plástico por canudos de papel em todos os seus restaurantes do Reino Unido e Irlanda a partir de setembro.

Banir o consumo de canudos de plástico se estabeleceu como uma tendência praticamente irreversível em 2018. O estado de São Paulo também caminha para a proibição. Está em tramitação na Assembleia Legislativa de São Paulo o Projeto de Lei no 118/2018, que obriga os estabelecimentos comerciais a utilizar canudos biodegradáveis no estado. O PL prevê que os estabelecimentos que descumprirem a lei estão sujeitos à multa de 500 UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo), que será aplicada em dobro em caso de reincidência.