Energia Solar será a opção mais barata em 2020

Investimentos em energia solar quadruplicaram nos últimos anos, mas ainda sofrem com a falta de incentivos

1801

Com seu crescimento quadruplicado nos últimos anos e mais de 100 projetos de usinas fotovoltaicas em construção, o Brasil hoje tem 3.981 conexões de energia solar, que são sinais de um futuro com foco nas energias renováveis.

As capitais de Belém, Fortaleza, Rio de Janeiro, Recife e Goiânia hoje têm o melhor retorno dos projetos de baixa tensão realizados em pequenos negócios, condomínios, hospitais, shopping centers e residências. Estima-se que em 2020 a energia solar será a forma mais barata de produzir eletricidade, este preço diminuirá em 60% até 2040.

Marcel Haratz, diretor da Comerc Solar, gestora de energia, acredita que é necessário apostar em energia limpa, renovável e que contribuirá com um desenvolvimento da indústria local. Para ele a energia fotovoltaica vive um boom no Brasil e no mundo, no entanto o domínio do mercado é uma estratégia de passos curtos. “A vantagem da energia é que não vamos mudar radicalmente as práticas existentes. A energia solar vem para agregar e com o decorrer dos anos se transformará na melhor alternativa econômica e ambiental” diz.

Marcel menciona, também, a fácil instalação, pelo fato de ser uma energia renovável e abundante, a previsibilidade nos custos e a redução da dependência das distribuidoras locais. Outras alternativas são a durabilidade, de 20 a 25 anos nas placas, e a capacidade de chegar em áreas remotas.

O especialista considera como dificuldades o desconhecimento da tecnologia (fotovoltaica x aquecimento), financiamento dos projetos e o imediatismo da sociedade brasileira por mudanças.

Na visão de Haratz, hoje não existe um apoio abrangente por parte do poder público, no entanto afirma que iniciativas como o Sistema de Compensação de Energia Elétrica com as Condições Gerais de Fornecimento (Resolução Normativa nº 414/2010) já são um ótimo começo.

O Sistema entrou em vigor em março deste ano e permite o uso das fontes renováveis para a micro geração de energia. Enquanto a quantidade de energia gerada durante um mês for superior à consumida, as pessoas recebem créditos que podem ser utilizados para diminuir o valor das faturas dos próximos meses. “O Brasil é um território muito rico para o mercado de energias renováveis, mas ainda falta conhecimento por parte da população. Consciência ambiental e educação” defende Haratz

No ano de 2015, a energia solar representava 0,01% da matriz elétrica Brasileira, a Eólica 3,5% e de Gás Natural 12,9%, segundo dados do Ministério de Minas e Energia.

A expectativa é que até 2024 a energia solar chegue a 8300 MW de capacidade instalada. Em 2050, 18% dos domicílios devem usar o sistema fotovoltaica (13% da demanda elétrica de todo o Brasil).