Moradores de Osasco sofrem com falta de médicos

Em visita ao PS Santo Antônio, o prefeito Rogério Lins anunciou um Plano Emergencial para a Saúde

2037
Foto: Secom/Osasco

Em visita ao Pronto Socorro do Santo Antônio, um dos maiores de Osasco, o prefeito Rogério Lins conversou com funcionários e pacientes. O secretário da Saúde, José Carlos Vido, acompanhou Lins e apurou in loco a situação. A rede municipal de Saúde sofre com a falta de médicos.

No PS Santo Antônio, Lins disse que pretende contratar, nos próximos dias, 300 médicos para suprir a demanda. Hoje, a rede deveria funcionar com 500 especialistas. A convocação de parte deles começa já nesta semana.

Segundo Lins, um Plano Emergencial será implantado no prazo médio de 120 dias para tentar tirar a Saúde da UTI. O objetivo da prefeitura é reduzir a fila de exames que chega a aproximadamente 30 mil pacientes.

Outro agravante no atendimento é a precariedade da maioria das ambulâncias. Da frota com 33 unidades, apenas quatro funcionam. As demais estão paradas por problemas diversos. De acordo com o secretário da Saúde, o desafio será grande e ele estima que 80% da população seja dependente da rede pública da Saúde.