João Signorelli traz Gandhi para Granja Viana

Foi interpretando Gandhi, há quase 15 anos, que o ator João Signorelli encontrou o que há de mais verdadeiro em seu coração. Nesta entrevista exclusiva, ele fala da mudança que o personagem trouxe para sua vida. E no dia 28 de outubro, vai apresentar o monólogo "Gandhi, a ética inspiradora", em prol do Projeto Âncora.

3899

Você se recorda de João Signorelli? Ele fez muitos papéis, muitos vilões em novelas e minisséries globais, peças de teatro e filmes. Já fez trabalhos como mestre de cerimônia, inclusive recepcionando o Dalai Lama no Brasil, e apresentou um programa no AllTv. Mas foi interpretando Gandhi, há quase 15 anos, que o ator encontrou o que há de mais verdadeiro em seu coração. “Não dá para passar incólume a um personagem desses. Na primeira vez que li o texto, eu falei para o Miguel (Filiage) que estávamos diante de um teatro totalmente diferente. Anos depois, eu fui entender que este é um teatro devocional, que leva para o caminho da espiritualidade”, relembra o ator em um bate-papo descontraído no Félix Café, da sua amiga Rozana Moro.

Com o objetivo de disseminar uma cultura de paz, os monólogos “Gandhi, um líder servidor” e “Gandhi, a ética inspiradora” são, para João, marcos em sua vida. “Eu brinco que eu estava na espuma do champanhe, mas teve uma hora que isso não alimentava mais a minha alma. Eu tinha dinheiro e fama, era ator da Rede Globo, mas havia um vazio existencial que eu não sabia o que era. Acho que ser ator é falar de alma para as pessoas. E quando eu li o texto do Gandhi, eu pensei: meu Deus, é a chance que eu tenho de me venerar nesse caminho. E hoje estou muito mais alimentado em todos os sentidos”, conta emocionado o ator que agora, em outubro, fará uma apresentação beneficente em prol do Projeto Âncora.

Tanto tempo incorporando Gandhi no teatro influenciou o seu jeito de pensar e o seu estilo de vida. “Percebi que se não me comprometesse e me comportasse como Gandhi, não teria credibilidade para passar a mensagem de maneira verdadeira. Então, fiz dois pactos: parar de mentir socialmente e cumprir o que prometia. Mesmo uma mentirinha que a gente pensa que não causa dano nas relações humanas pode ser devastadora. Sabe que cumprir o que você promete é até mais difícil do que parar de mentir? Eu não larguei as novelas, eu larguei certos tipos de trabalho para poder, por intermédio do Gandhi, servir as pessoas”, comenta o ator. “Esse papel influenciou minha alimentação também. Não deixei de comer carne, mas diminuí muito o consumo. Mudou também meu jeito de olhar a vida e meus hábitos noturnos. Passei, também, a seguir a Medicina Ayurvédica, que acho muito interessante”, completa.

Para ele, nosso modelo de vida chegou a um impasse e estamos à beira de um abismo. Por isso, é preciso rever conceitos. “Vejo que há uma nova geração em busca da espiritualidade para entender qual é o propósito de vida e o que estamos fazendo aqui. São pessoas com outra mentalidade, com pensamentos coletivos para o bem de todos. Tenho esperança de que a espiritualidade vai se espalhar por aí, porque não tem outra maneira. Se não nos voltarmos para a espiritualidade, vamos morrer como raça”, preocupa-se.

Com a experiência do trabalho que dissemina a cultura da paz e os ensinamentos de Mahatma Gandhi, Signorelli dá algumas dicas para nos elevarmos espiritualmente. “O primeiro passo é ficar, pelo menos, um minuto em silêncio por dia. Acredito que, por meio da meditação, você atinge um nível de inteligência espiritual. Tentar olhar para si mesmo para se autoconhecer e também perceber que toda pessoa que cruza seu caminho é um enviado de Deus são outros passos para nossa elevação. O momento é de agir, e não reagir”, ensina.

O João, tanto no papel de Gandhi como na versão João Signorelli, nos mostra que a única revolução possível é dentro de nós mesmos. Pensemos como ele, o líder indiano e tantos outros que lutam por um mundo melhor: “o amor cura, o amor une, o amor nutre, o amor educa, o amor encoraja, o amor movimenta, o amor motiva, o amor possibilita a vida”.

 

Serviço

Gandhi, a ética inspiradora

Data: 28 de outubro de 2017, às 20 h

Local: Espaço Projeto Âncora – Estrada Municipal Walter Steurer, 1239 – Jardim Rebelato – Cotia (SP)

Valor: R$ 20

Classificação: Livre