Cotia sem canudo

Engajada e atenta ao movimento global, em maio de 2018 a REVISTA CIRCUITO lançou a campanha #oultimocanudo. Agora, displays divulgando a iniciativa ganham as mesas de bares e restaurantes.

712

A Revista Circuito lançou campanha para alertar a comunidade sobre a utilização de canudos plásticos e, por meio do projeto Selo Cidadão, firmou parceria com as autoridades públicas do município. O resultado foi uma importante conquista: Cotia entra para a história ao ser a primeira cidade do Brasil a abolir os canudos plásticos!

A Lei nº 2021 entrou em vigor no dia 4 de julho de 2018, surtindo efeitos a partir de 1º de janeiro de 2019, e obriga restaurantes, lanchonetes, bares e similares, barracas e vendedores ambulantes da cidade a usar e a fornecer a seus clientes somente canudos de papel biodegradável ou recicláveis, individualmente e hermeticamente embalados com material semelhante.

Em maio, quando foi feito o lançamento oficial da campanha, o Ristorante Don Camillo foi o primeiro a aderir. “Vamos abraçar esta campanha. Só aqui no Don Camillo, vamos deixar de utilizar 3 mil canudinhos por mês. É uma causa muito bacana que seguiremos juntos com a Circuito”, comentou a proprietária, Serena Fagherazzi, na época.

Em parceria com a Socom Alimentos, a Circuito já iniciou o trabalho de conscientização da população. Displays de mesa com informações sobre a campanha já foram distribuídos aos restaurantes, e pessoas da comunidade estão sendo convocadas para ajudar na fiscalização. “Esta campanha nos chamou a atenção e abraçamos a ideia, junto com a Circuito, sempre tão engajada nas questões sociais. Se todos se conscientizarem de que os canudos plásticos são um dos maiores vilões, com certeza daremos um importante passo para a preservação do meio ambiente”, declarou Luiz Antonio Medina, diretor da Socom Alimentos.

 

Disney sem canudo

A Walt Disney Company anunciou que eliminará os mais de 175 milhões de canudos e 13 milhões de mexedores plásticos descartados anualmente nos parques da Disney até o fim do primeiro semestre de 2019. O único parque que ficará de fora da iniciativa é o de Tóquio, no Japão.

 

Sorocaba e São Roque na campanha

Dois projetos de lei foram elaborados por vereadores com a intenção de proibir a utilização de canudos plásticos nas cidades. Em Sorocaba, o texto prevê que o uso do item seja proibido, exceto os biodegradáveis. Caso entre em vigor, o descumprimento da lei resulta, primeiramente, em advertência para coibir a irregularidade. Na segunda autuação, é prevista multa de 120 unidades fiscais. Já na terceira autuação, dobra o valor da multa e assim sucessivamente. No município de São Roque, o projeto de lei também visa proibir a fabricação, comercialização, distribuição e uso do canudo plástico. O projeto orienta que os canudos plásticos sejam substituídos por produtos biodegradáveis ou que não sejam de uso único. Conforme o texto, será dado o prazo de 36 meses, caso seja aprovado e entre em vigor, para o fim da fabricação de canudos plásticos, 48 meses para o fim da venda e 60 meses até o uso ser abolido na cidade.

 

Natureza paga a conta

Os dados são alarmantes: um estudo da revista Science apontou, em 2015, que o Brasil era o 16º país que mais despejava plástico nos oceanos. Além disso, uma pesquisa do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, em parceria com o Instituto Socioambiental dos Plásticos (Plastivida), concluiu que 95% do lixo nas praias brasileiras são de plásticos.

 

Formas de substituir o canudo plástico por outros materiais

  • Prefira beber direto do copo ou garrafa (dê preferência a algum material que não seja plástico);
  • Comece a usar canudos reutilizáveis de metal, vidro ou bambu (canudos personalizados);
  • Use canudos de material biodegradável, como os de papel.