Fundada em 1927, a Cooperativa Agrícola de Cotia (CAC) é, até hoje, considerada uma das iniciativas mais prósperas da comunidade japonesa no Brasil. A ideia veio dos lavradores recém-saídos do sistema de colonato e desiludidos com a demora em ganhar dinheiro com o café. Os cerca de oitenta fundadores produziam principalmente batata para abastecer a capital – muitos iam à região do Largo da Batata, que ganhou esse nome justamente pela concentração de vendedores do tubérculo. A expansão não parou por ali. Em poucas décadas, a cooperativa diversificou a produção e abriu filiais em Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro. Nos anos 80, a CAC tinha 15 mil associados espalhados por catorze estados brasileiros e faturamento anual de 760 milhões de dólares. Desandou e, por dívidas, a iniciativa chegou ao fim em 1994. Quatro anos depois, seus arquivos foram doados ao Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, na Liberdade.