Nova portaria da Fazendinha garante mais segurança aos moradores

A Circuito esteve no mês de fevereiro no local para acompanhar de perto o funcionamento do novo sistema. Aprovado praticamente por unanimidade, nova tecnologia garante um controle maior de quem entra e de quem sai da área, possibilitando também a integração entre os agentes

833
Fazendinha

Inaugurado no dia 20 de outubro de 2018, o novo sistema implantado na portaria que dá acesso ao bolsão residencial Fazendinha, em Carapicuíba, já dá sinais de melhorias no que diz respeito à segurança dos moradores. Essa nova tecnologia garante um controle maior de quem entra e de quem sai da área, possibilitando também a integração entre os agentes.

Três pistas, cada qual com sua função, foram organizadas para facilitar o trabalho dos controladores de acesso. A pista 1, que fica ao lado da cabine da portaria, é utilizada para credenciamento e cadastro.

A pista 2 está sendo utilizada também para o credenciamento em momentos de pico. No entanto, essa não é a verdadeira função da pista, que em breve passará a funcionar com abertura automática por leitura de placa em veículos pré-autorizados.

Já a pista 3, que foi implantada neste novo sistema, é específica para a passagem de moradores associados. Ela conta com um recurso extra de tecnologia, parecido com o Sem Parar, em que os moradores fixam um adesivo em seus veículos, permitindo a passagem sem ser necessária a identificação.

A Circuito esteve no mês de fevereiro no local para acompanhar de perto o trabalho do novo sistema implantado. A reportagem foi recebida pela diretora de comunicação da Associação Amigos e Moradores da Fazendinha (AMAFAZ), Monika Sengberg, que explicou o principal motivo de ter realizado a mudança na portaria: a segurança.

Monika relatou que estavam ficando cada mais frequentes as ocorrências de furtos, roubos a pedestres e até mesmo assaltos à residências. A troca da empresa de segurança, com o incremento do efetivo e das rondas, já trouxe uma redução muito expressiva das ocorrências. Num período de 18 meses, não havia sido registrado nenhum delito.

“O problema é que o aumento do efetivo tem um custo muito alto. Essa não poderia ser uma solução de longo prazo. A nova portaria, com todo esse suporte tecnológico, tem o objetivo de otimização dos custos, tornando a gestão mais eficiente”, explica.

Acidentes e caminhões

Mas quando o assunto é mais segurança, nem só de crimes são feitas as avaliações. A tecnologia é muito útil no apoio à situações de acidentes, controle de descarte irregular de entulho, entre outras situações.

Outro benefício que a nova portaria trouxe foi o de limitar o porte de caminhões que podem acessar o bolsão. Antes, com o acesso livre para qualquer veículo pesado, o impacto nas vias era evidente. Hoje, com o novo controle, não é permitido o tráfego de caminhões acima de dois eixos. “Exceções são tratadas junto à administração e o volume reduziu significativamente”, explica.

Os descartes irregulares de materiais, como entulho e terra, por exemplo, foram eliminados.

“Visivelmente, eu já percebo o número de caminhões muito menor aqui dentro. Antes, eram muitos caminhões no dia a dia, que dificultavam o trânsito, além de danificarem o sistema viário”, disse Fernanda Sales, moradora da Fazendinha desde 2003.

Projeto

A ideia do novo projeto começou a ser amadurecida em 2016. A Prefeitura de Carapicuíba deu parecer positivo e, em outubro daquele ano, começaram as apresentações aos moradores e às pessoas que utilizam a área para fazer travessias. Foram 49 apresentações em reuniões, assembléias, reunião pública, sendo o projeto aprovado praticamente por unanimidade.

Após as reuniões, já no primeiro semestre de 2017, foram feitas as arrecadações para o novo projeto, arrecadação esta que durou até dezembro daquele ano.

As obras iniciaram em fevereiro de 2018 e, após oito meses, a primeira etapa da portaria foi inaugurada. A segunda tem previsão de implantação em meados de março.

Os moradores já sentem o impacto positivo do novo sistema que tem a aprovação da ampla maioria.

“Eu me sinto mais protegida, em saber quem está entrando, e que para situações suspeitas, posso contar com uma segurança mais bem equipada, e com informações e comunicação integradas. Hoje sabemos, em tempo real, quem está no bolsão”, relata Fernanda.

Lelia Oliva, também moradora do bolsão, relatou o impacto que essa mudança já está trazendo. “Logo que chegamos [na Fazendinha] achei isso aqui um paraíso, mas bem bagunçado e nada seguro. Agora, com a nova administração e a nova portaria, virou um paraíso seguro e organizado. As inúmeras melhorias são visíveis.”

A mesma opinião é compartilhada por Sérgio Paiva, morador da Fazendinha há 12 anos. Segundo ele, o novo projeto de segurança ‘virou o jogo’. “Basta observar a redução acentuada dos assaltos e invasões de residências para entender como foi importante o trabalho das pessoas da diretoria, que doaram o seu tempo em prol da coletividade. Há muito ainda o que fazer, mas o Fazendinha é hoje um lugar muito mais atrativo para se morar do que há poucos anos”, relata.

Entrou, mas não saiu?!

O novo sistema ainda permite identificar situações suspeitas como um veículo que informou estar apenas fazendo a travessia – identificado como passante – excedendo o tempo estimado para esse trajeto. Se isso ocorrer, imediatamente os seguranças serão acionados e irão atrás do veículo.

Garantido por lei

Algumas pessoas podem até questionar se o novo modelo de controle de acesso dentro da Fazendinha é legal ou não. Mas de acordo com a lei 13.465/2017, sancionada pelo ex-presidente Michel Temer, em julho 2017, e que traz importantes complementos a lei 6766/1979, fica permitido aos loteamentos que possuem portarias, cancelas e guaritas controlar, inclusive com cadastramento, o acesso aos bolsões. Só não é permitido impedir a entrada.

Além disso, com essa mudança, as associações de moradores que gerem loteamentos e bolsões ganham mais segurança jurídica para cobrar mensalidades dos moradores para manter os serviços de infraestrutura e segurança privada.

 

Por José Rossi Neto