California de cabo a rabo

Road tripping in Cali. Califórnia de cabo a rabo. Califórnia num ponto de vista diferente. O roteiro ideal pela Highway 1, na costa californiana, escrito pela nossa colunista Layla Foz.

2988

Ahhhh, Califórnia! Morei em San Diego e não tem como dizer que a Califórnia não balança meu coração. Já fui algumas vezes além do ano que passei por lá e confesso que acho Los Angeles meio cliché, quase no boring, então eu sugeriria passar pouco tempo por lá e focar em San Francisco, ou San Diego. Pra ser mais precisa, se você quiser conhecer o melhor dos mundos na Califórnia eu duvido que exista opção melhor que uma bela road trip.
Quem não gosta da nostalgia de viajar de carro, não é mesmo? Imagina então pela costa mais famosa do planeta, com uma natureza de tirar o fôlego e spots urbanos ultra descolados. A Highway 1 é o tipo de experiência que tem que ser vivida. Sem muitas milongas, vou dividir meu roteiro ideal de mais ou menos uma semaninha, que inclusive já fiz 3 vezes.

Considerando a chegada por Los Angeles, mesmo se não tiver muito tempo por lá, aconteça o que acontecer, não deixe de conhecer o pier de Santa Monica. Vale um passeio de bike/skate/patinete de lá até Venice Beach. E me promete tomar um brunch no Urth Café mesmo que não seja na mesma área da cidade.
Muita gente já sobe pra Malibu e se joga pela costa, o que também já fiz, mas nesse roteiro eu diria para deixar a surpresa pro final e ir para San Francisco por dentro, passando pelas plantações de laranja e de preferência parando no Sequoia National Park. Além de rios e paisagens extratosféricas nos arredores, no parque você entra em contato com uma flora extremamente única: uma floresta de sequoias de centenas de anos, que precisariam de 20 pessoas de braços abertos para fechar a circunferência do tronco. Sou infinitamente mais da praia do que da montanha mas acredito que seja impossível não ficar boquiaberto nesse ecosistema. Só garanta que você tem gasolina antes de começar a viagem porque a minha já estava no fim da reserva quando finalmente achamos um posto dentro do parque, e digamos que não recomendo já que ao invés de sinal de telefone têm placas de “cuidado com ursos”.

De Sequoia National Park eu sugiro seguir direto para San Francisco. Por lá, os brechós vintage mais hypes que você já viu na vida, level Amsterdam, dão toda a graça da Haight Street, que por si só já é incrível com toda a atmosfera hippie. Fisherman’s wharf, por mais cliché que possa parecer, também não pode ficar de fora do seu roteiro; é tipo a Golden Gate.
Mais pelos arredores, Salsalito vale uma visita, nem que seja só para admirar o lifestyle de quem mora por ali. O campo de erva doce na marinha me causa felicidade pela simples lembrança.
Sugiro também atenção nos shows e festivais gratuitos que acontecem com frequencia nos parques da cidade. Ah, e comi o melhor chia puddim da minha vida no Reveille Coffee Co, que como todo bom point hipster oferece um avocado toast legendário.
Quando (se) se cansar de San Francisco, passe em Santa Cruz (sim, vale muito a pena, especialmente se você for interado do universo do surf) e siga para Monterey, aquela cidade que esperamos viver quando nos aposentarmos. Além de vários restaurantes bons, casinhas lindas e vista para o mar, no centrinho tem o aquário mais chocante que já vi. Nada explica a parte das águas vivas laranjas no fundo azul. E de lá, pela 17 Mile Drive, uma estrada encantada, vá para Carmel-By-The-Sea. Baleias não são nada raras de se ver por essa costa!

A essa altura é bom você já ir se preparando porque ao entrar em Big Sur a situação fica séria. Daquelas paisagens que demoram para cair a ficha e sempre me fazem chorar. Penhascos enfileirados no que parece não ter fim, a beira de um mar cheio de vida e um parque nacional muito diferente do que temos e vemos no Brasil. Sem dúvidas a parte mais linda do percurso; sede de muitos retiros espirituais e conhecido como polo energético… não é a toa!
Em geral, não é uma viagem que gosto de planejar onde vou dormir, apesar de ser o aconselhável se durante a temporada, mas sempre acabo dormindo pelo menos uma noite em Big Sur. O bom de viagens de carro é que permitem essa flexibilidade.
Aquela passada em Santa Barbara antes de chegar em LA novamente também vale a pena, mas só um dia basta para curtir o clima fim de viagem e nada mais. Se tiver mais tempo, San Diego não fica longe! Se esse for o caso, saia do óbvio (La Jolla, etc) e vá conhecer Del Mar beach, comer o melhor sanduíche de todos os tempos: Board and Brew.
Ah, e depois me conta dos seus secret spots porque certamente ainda vou voltar muito; o sonho Californiano nunca perde a graça!


SOBRE A AUTORA – Foi aos 16 anos que a jovem Layla Foz saiu da Granja Viana para ganhar, não só o mundo, mas seguidores nas redes sociais. Essa leonina, granjeira da gema, cresceu e apareceu. Começou com o blog “Aos Olhos de Quem Vê” e hoje mantém um canal sobre lifestyle no Instagram, com 138 mil seguidores. Isso sem falar no site CallMeLayla, em que comercializa produtos de moda com pegada sustentável. Mora no Havaí, viaja pelos quatro cantos do mundo e influencia por onde passa.