Cidades dão início à elaboração de plano de tratamento e destinação do lixo

Cidades solicitam estudos quanto ao transbordo, tratamento e destinação final do lixo da microrregião que inclui São Roque, Alumínio, Mairinque, Vargem Grande, Ibiúna e Piedade. A preocupação do grupo é que, a partir de julho o aterro de Itapevi irá restringir a recepção para diversos municípios, incluindo São Roque.

284

O prefeito de São Roque, Claudio Góes, a chefe do departamento de Meio Ambiente, Juliana Caldevilla e representantes das prefeituras de Mairinque e Ibiúna reuniram-se com a secretária executiva do CERISO (Consórcio de Estudos, Recuperação e Desenvolvimento da bacia do rio Sorocaba e Médio Tietê), Maria Otília Garcia, para solicitar estudos quanto ao transbordo, tratamento e destinação final do lixo da microrregião que inclui São Roque, Alumínio, Mairinque, Vargem Grande, Ibiúna e Piedade

A preocupação do grupo é que, a partir de julho o aterro de Itapevi irá restringir a recepção para diversos municípios.

A reunião aconteceu em Ibiúna. Na ocasião foi discutida a necessidade imediata do início ao plano regional de gestão integrada de resíduos sólidos que irá nortear o caminho a ser seguido pelos municípios envolvidos.Com os primeiros passos dados pelo CERISO, existe uma boa perspectiva da resolução conjunta do problema.

“É muito positivo o fato de termos os prefeitos da região assumindo a responsabilidade, arregaçando as mangas e buscando acelerar este processo”, comentou Luigi Longo, presidente do Instituto Movimento Cidades Inteligentes, que tem assessorado o CERISO.

O CERISO é consórcio ambiental responsável pelo desenvolvimento do plano de resíduos de toda a região da bacia do Rio Sorocaba e Médio Tietê. O Plano de São Roque já era previsto, mas em face da emergente situação do aterro envolvendo a microrregião, será adiantado.