Como despertar o interesse pelo estudo

A família também pode participar mais ativamente do cotidiano escolar do filho, estando atenta às tarefas e conteúdos com os quais ele está envolvido. Para fortalecer o laço família-escola, podem ser realizadas rodas de conversa e de estudo na escola e em casa, de forma a facilitar a partilha de conhecimentos adquiridos

351

 

Por Cibele Bastos Guaringue

Num mundo em constante transformação, onde as mídias digitais ganham mais espaço a cada dia, vem à tona a questão de como despertar nas crianças e adolescentes o maior interesse pelos estudos. O desejo pelo conhecimento pode vir de várias formas, seja por meio do uso de tecnologias a favor do aprendizado, ou de propostas pedagógicas desafiadoras. Também é importante deixar que a criança e o adolescente sugiram o que gostam de ler e estudar, compartilhando seus interesses e preferências.

Alguns fatores podem ajudar a despertar o interesse do aluno pelos conteúdos escolares e contribuir no reconhecimento da função social do conhecimento. Pela perspectiva da escola, é importante a presença do professor em constante formação, apaixonado pelo trabalho que realiza e que demonstre em suas atitudes afetividade pelos alunos.

Na sala de aula, devem ser valorizadas situações de aprendizagem inovadoras e que estimulem a criatividade e despertem o interesse pela pesquisa. Ao final da aula, fazer uma retomada do assunto trabalhado de forma lúdica, por meio de jogos e brincadeiras, também ajuda a tornar as aulas mais dinâmicas e interativas. Essas situações vão contribuir para que o aluno se sinta protagonista e participante ativo do processo de construção do conhecimento.

Além da atuação dentro de sala, é essencial que se estabeleçam estratégias que estimulem o diálogo e a troca de saberes entre os alunos. Isso pode ser feito por meio da escuta e diálogo frequente entre professor e aluno, estabelecendo combinados para os momentos de realização das atividades, tarefas e estudos.

Do lado da família, é essencial, por exemplo, que ela acredite na proposta pedagógica da escola e que estabeleça um diálogo frequente com a criança ou adolescente para saber orientá-los em relação às tarefas e rotina de estudo.

A família também pode participar mais ativamente do cotidiano escolar do filho, estando atenta às tarefas e conteúdos com os quais ele está envolvido. Para fortalecer o laço família-escola, podem ser realizadas rodas de conversa e de estudo na escola e em casa, de forma a facilitar a partilha de conhecimentos adquiridos.

Em casa, os pais podem sugerir, por exemplo, momentos de leitura com os filhos e espaços adequados para o estudo. Ambientes favoráveis, bem iluminados e longe de ruídos vão contribuir para que a hora de fazer a lição de casa ou algum trabalho seja mais prazerosa. É importante lembrar que as crianças aprendem pelo exemplo, então são sempre bem-vindas atitudes que demonstrem que os pais têm real interesse em estudar, ler e buscar conhecimento.

Como educadora atuando há 26 anos na área, posso dizer com convicção que, assim, é possível formar crianças e adolescentes que gostem de estudar, que se interessem pela leitura, que façam tarefas com prazer e que frequentem as aulas com o mesmo entusiasmo de quando iniciaram na Educação Infantil.

 

Cibele Bastos Guaringue é coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental Anos Iniciais do Colégio Marista Pio XII, em Ponta Grossa (PR).