Granja Viana terá 63 mil metros quadrados desapropriados para projeto de mobilidade

O Parque São George será a região com mais imóveis a serem desapropriados, 16 no total, dos quais sete casas em uma única rua. Prefeitura disse que ainda não informou moradores sobre a decisão. Veja lista completa.

1643
Avenida Eid Mansur no Parque São George fará a ligação com a José Giorgi com nova via que passará por dentro do Cotolengo

A prefeitura de Cotia publicou decreto assinado pelo prefeito Rogério Franco com a relação de 50 lotes que serão desapropriados (amigavelmente) total ou parcialmente, na Granja Viana, para atender ao projeto de mobilidade da Raposo Tavares entre os kms 21 e 30, apresentado no último dia 30 (leia aqui). São 62,9 mil metros quadrados no total. A prefeitura informou que ainda não estimou o valor que será investido nessas desapropriações, “essa será uma das etapas a serem concluídas”, respondeu à Redação da CIRCUITO.

O Parque São George que fará a ligação com a avenida José Giorgi, acesso ao residencial São Paulo 2, passando por dentro do Cotolengo, será a área mais atingida, com 16 imóveis na lista, dos quais sete são casas inteiras que devem dar lugar à nova via.  Elas estão nas ruas Karan, Nemitala e Mazel. Os demais imóveis, terão desapropriação parcial (veja lista aqui).

As avenidas Elias Zarzur e Eid Mansur, região da Praça Ayrton Senna, também terão partes de imóveis desapropriados.

Rua Karan no Parque São George tem pelo menos sete imóveis que serão desapropriados

O Pequeno Cotolengo que pertence à congregação religiosa da Pequena Obra da Divina Providência terá a maior área desapropriada, 22,3 mil metros quadrados desapropriados. Na sequência 9,2 mil metros de imóvel da Sociedade Beneficente São Camilo, onde está prevista a construção do futuro Hospital São Camilo e a criação de uma rotatória para dar mais fluidez no trânsito naquela via.

A terceira maior área a ser desapropriada está na altura do km 26 da Raposo Tavares e pertence à empresa de essências e perfumes, Firmenich. São 4,5 mil metros quadrados que fazem esquina com a avenida Giorgi.

Segundo a Secretaria de Habitação de Cotia, os trechos de maiores intervenções os proprietários já foram comunicados sobre as desapropriações. Já os demais, a Secretaria informou que “está levantando a quantidade a ser afetada nas menores áreas, para assim determinar e em seguida conversar com os proprietários”.

Embora o projeto seja uma parceria com o Governo do Estado, conforme informado quando do apresentação da proposta, o Secretária de Habitação Sérgio Folha disse em entrevista que as duas partes correrão independente, o que significa que a parte que compete ao município, será executada mas ainda sem data para começar.

A prefeitura está fazendo intervenções na região com base nesses estudos e outras ações estão em andamento. Estamos em diálogo com alguns proprietários das áreas para desapropriação como, Cotolengo, São Camilo entre outros”, respondeu o Secretário.

Por Sonia Marques