Moradores e ambientalistas organizam manifestação pela abertura do Parque Jequitibá

No Dia Mundial da Biodiversidade, dia 22 de maio, moradores programam uma manifestação em prol da abertura do Parque Jequitibá (ex-Parque Tizzo). “Por amor ao primeiro grande fragmento de Mata Atlântica a enfrentar a ilha de calor da Grande São Paulo”, defendem os organizadores.

359

Criado em 2006 pelo governo do Estado de São Paulo como primeiro grande parque urbano focado em educação ambiental e estudo de campo por estudantes, e sobre um belo projeto arquitetônico, o Parque Jequitibá (ex-Parque Tizo) permanece fechado à população.

Sua importância para a Grande São Paulo é enorme. Com 1,3 milhão de m2 (o exato tamanho do Parque Ibirapuera, porém com mais de 60% de Mata Atlântica), ele é o primeiro grande fragmento a enfrentar, a Oeste da Grande São Paulo, a mancha de calor da metrópole. É a partir dele, situado no km. 20 da Rodovia Raposo Tavares, que se abre o corredor ambiental que inclui a APA Embu Verde, a Granja Viana, o Parque das Nascentes, o Parque Cemucam e outros, chegando até a Reserva Florestal do Morro Grande, no km 32 da Raposo.

Trata-se de um parque intermunicipal de relevância logística e estratégica, pois expande-se por três cidades (São Paulo, Osasco e Cotia) e faz divisa com outras duas, Taboão da Serra e Embu das Artes, sendo grande opção para atividades na natureza num ambiente urbano carente de áreas verdes.

Mas o parque, embora conte com administradora, funcionários e segurança, vem sofrendo por nunca ter sido efetivamente aberto à população. O plano diretor e seu projeto executivo não são realizados. Seu Conselho Consultivo, eleito em abril de 2018 (mais de um ano atrás), ainda não foi sequer nomeado no Diário Oficial do Estado. Seu cercamento vem sendo roubado na divisa com a Avenida Heitor Antonio Eiras Garcia, em São Paulo. Há uma área invadida por um “bota-fora” na parte situada em Osasco.

Junte-se a isso que a transferência da área do CDHU (Secretaria de Habitação) para a Secretaria de Meio-Ambiente, determinada claramente no decreto de criação, ainda não foi cumprida (foi feita parcialmente, em apenas um dos quatro platôs do parque), em clara desobediência à determinação do próprio governo estadual.

O movimento pela defesa do parque se manifestará por sua abertura, seus cuidados, e pela adoção definitiva de seu Plano Diretor e seu Projeto Executivo. Será no dia 22 de maio, o Dia Mundial da Biodiversidade. A grande manifestação acontecerá a partir das 9h30, onde seria sua entrada pela cidade de São Paulo, nas esquinas das ruas Emil Bohn com Savério Quadrio.

Estarão se manifestando entidades ambientalistas, associações de moradores, escolas, educadores, moradores da Zona Oeste da Grande São Paulo e militantes em favor do meio-ambiente. Estão todos convidados.

 

SERVIÇO

Grande manifestação pelo Parque Jequitibá

Quando: 22 de maio, quarta-feira, Dia Mundial da Biodiversidade, às 9h30.

Onde: Esquina das ruas Emil Bohn com Savério Quadrio, no Parque Ipê, São Paulo