Barragem de Pirapora do Bom Jesus tem risco reduzido

Com novo resultado, obtido após vistoria realizada pela Aneel, o risco de causar danos, caso haja rompimento da barragem, reduziu de alto para médio

349
Barragem no Rio Tietê em Pirapora - Drone DJI Phantom 4

O resultado de uma nova vistoria realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) colocou a barragem de Pirapora do Bom Jesus de classe A para classe B. Isso significa que, caso haja rompimento, o potencial de causar danos baixou de alto para médio.

O resultado foi obtido a partir da análise dos dados enviados pela Emae (Empresa Metropolitana de Água e Esgoto), por meio do preenchimento dos Formulários de Segurança de Barragens e de informações obtidas por meio de fiscalizações realizadas pela agência reguladora.

Localizada às margens do Rio Tietê, vizinha de Santana de Parnaíba, a barragem de Pirapora foi classificada como uma das 45 em todo o país que apresentavam alto risco de rompimento e, consequentemente, com um grande potencial de causar estragos em toda a região.

Plano de Ação

A Emae apresentou o Plano de Ação de Emergência das barragens que pertencem à companhia para representantes de prefeituras e defesas civis das cidades que estão no entorno das represas. No total, foram entregues 19 planos, que contemplam os procedimentos de notificação e alerta, mapas de inundação, sinalização de rotas de fuga, bem como o fluxograma de notificação em situações de emergência.

Para o secretário da pasta de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, o trabalho dos profissionais da Emae merece destaque. “A entrega do Plano de Ação de Emergência elaborado pela equipe técnica da Emae é muito importante para todas autoridades municipais sobretudo para a segurança e tranquilidade da população do entorno”, disse.

Por José Rossi Neto