Professores e coordenadores de Cotia participam de formação voltada para a educação especial

Encontro de Formação "Trocando Saberes" foi promovido pela Secretaria de Educação

247

Cerca de 90 professores e professores coordenadores da rede municipal de Cotia que, trabalham com alunos deficientes visuais – cegos e com baixa visão – participaram do Encontro de Formação “Trocando Saberes”, promovido pela Secretaria de Educação.

A capacitação, que aconteceu na última semana, foi para duas turmas, uma de manhã e outra à tarde, na Loja Maçônica Regente Feijó. Especialistas em educação especial ministraram as palestras. A programação teve ainda oficinas e um café sensorial.

De acordo com o secretário Luciano Corrêa, a ideia da formação para os profissionais da rede municipal teve como objetivo trazer novas experiências e práticas para os professores. “Trazer novas experiências e aproximá-las da prática dos professores possibilita novos olhares e a adoção de novas estratégias para o trabalho com os alunos. O foco é sempre a inclusão destes alunos”, disse o secretário.

A capacitação contou com palestras do professor Josafá Costa, que é cego e atua na Prefeitura de Taboão da Serra, da professora Berenice Prado, especialista em deficiência visual e integrante do Centro de Integração e Apoio ao Deficiente Visual de Taboão da Serra, além das professoras das salas de recurso do CEUC, Maria das Dores e Lolita Marques.

“Este é um momento de troca, de aprendizado para que os educadores tragam suas dúvidas, seus anseios e, juntos, possamos resolver as situações”, disse Marcia Buava, diretora da educação especial da Secretaria de Educação.

Durante a formação, os educadores participaram de oficinas e de um café sensorial. Alguns servidores participaram das atividades com vendas nos olhos que bloqueavam totalmente a visão e outras que deixavam a visão bastante limitada. Outros servidores fizeram o papel de assistentes para auxiliar no deslocamento dentro do espaço e durante o café.

Na oficina, os participantes foram divididos em três grupos e tiveram dez minutos para encontrar as melhores soluções para três desafios propostos: encontrar uma maneira de orientar um aluno com baixa visão a participar de uma aula de leitura individual do conto “Sopa de Pedras”; o outro desafio foi encontrar a maneira mais adequada para orientar um aluno cego a participar da brincadeira “passa a bola” e, por fim, o último desafio proposto consistiu em encontrar a maneira adequada para orientar um aluno com baixa visão no momento do almoço.