Homem responsável por fogueira em Osasco admitiu que usou três litros de gasolina  

Entrevista foi concedia ao programa Fantástico, da TV Globo, no domingo (7). Humberto disse que há 15 anos acende a fogueira do evento e faz a montagem por iniciativa própria. Ele afirmou ainda que usou tecido tnt, cascalho de madeira e eucalipto. Atingidos pela explosão da fogueira, prefeito de Osasco, Rogério Lins, e a primeira-dama, Aline Lins, ainda continuam internados sem previsão de alta

388
Foto: Reprodução

O homem responsável pela montagem da fogueira que explodiu no último dia 28 e atingiu o prefeito de Osasco, Rogério Lins, e a primeira-dama, Aline Lins, afirmou que usou três litros de gasolina para fazer o fogo pegar.

Em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo (7), Humberto Aquino contou ainda que espalhou o combustível em oito pontos da fogueira, cerca de quatro minutos antes de o prefeito acendê-la.

Humberto disse à emissora que há 15 anos acende a fogueira do evento e faz a montagem por iniciativa própria. Ele afirmou ainda que usou tecido tnt, cascalho de madeira e eucalipto.

Na segunda-feira (8), um laudo do Instituto de Criminalística apontou que a forma de construção da fogueira foi uma das causas da explosão. De acordo com o laudo, o combustível evaporou e, como a fogueira estava toda coberta com tecido, o vapor ficou confinado lá dentro, criando uma atmosfera explosiva. Os peritos disseram ainda que a fogueira foi construída por experiência, sem análise formal ou projeto prévio.

Na semana passada, o Corpo de Bombeiros afirmou que a fogueira da festa junina não tinha autorização da corporação, que chegou a cassar o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) que havia autorizado a realização da festa.

Lins e Aline estão internados no Hospital Antônio Giglio, em Osasco, sem previsão de alta.

Por José Rossi Neto

Com informações do G1