Após 12 dias internados, prefeito de Osasco e primeira-dama recebem alta do hospital

Segundo o último boletim médico, ambos "apresentaram boa evolução clínica, estavam afebril, deambulando e aceitando dieta". O casal foi atingido por fogueira no arraial da cidade no dia 28 de junho

190
Foto: Reprodução / Prefeitura de Osasco

O prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos), e a primeira-dama Aline Lins, que tiveram partes do corpo queimadas em uma explosão de uma fogueira em uma festa junina da cidade no último dia 28, recebem alta médica nesta quarta-feira (10). O casal ficou 12 dias internado.

Segundo o último boletim médico, ambos “apresentaram boa evolução clínica, estavam afebril, deambulando e aceitando dieta.” “O tratamento se dará em casa e ambos seguirão todas as recomendações médicas, retomando seus compromissos aos poucos”, afirmou o boletim.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (10), Lins afirmou que a tradicional festa junina vai continuar em 2020. “O formato do evento é maravilhoso. É um evento solidário com o cunho de atender a uma campanha solidária de fim de ano. Um evento que contempla mais de 50 mil crianças na cidade no Natal. O arraial não vai parar, a gente vai rever algumas questões, mas o evento não para.”

O prefeito de Osasco ainda disse que vai continuar os trabalhos ‘respeitando as restrições’. “A cidade não pode parar. Eu posso ter alguma restrição de exposição ao sol, mas eu consigo escrever, eu consigo me comunicar, tem as videoconferências. Não vamos parar nossos trabalhos. Mas as 14 horas por dia, eu não vou poder até ter a alta clínica.”

O prefeito e a primeira-dama deram entrada no hospital no dia 28 de junho, após sofrerem um grave acidente com fogo, provocado por uma forte explosão ao acenderem a fogueira do Arraiá do Servidor.