Inaugurado em março de 1947, o Lar Escola Rotary iniciou suas atividades com a missão de “Servir com excelência, por meio da educação, formando cidadãos éticos, solidários e competentes.” Em 1997, mudou seu nome para Centro Profissionalizante Rotary, quando a Instituição passou por um processo de modernização na buscar da profissionalização das atividades relativas à educação para o trabalho, de acordo com as necessidades das empresas da região de Cotia.
Conhecido como CEPRO, hoje Centro Profissionalizante Rio Branco tem o respeito da sociedade, que reconhece o trabalho como um catalisador de oportunidades e inserção dos nossos jovens ao mundo do trabalho.
Visitamos a unidade localizada na Granja Viana para enxergar o CEPRO pelos olhos dos jovens que ali se desenvolvem e foi uma tarde de muita inspiração.
“Eu sinto que as empresas que são parceiras aqui, compartilham do propósito de realizar sonhos de nós jovens. Estou na Rehau como aprendiz, e realizado em estar contribuindo com uma empresa que se importa com a inclusão de jovens da cidade”, comenta Flavio Rego, de 19 anos.
“Inclusão social. Realização de sonhos. Fortalecimento da autoestima. Formação de excelência para o mundo do trabalho”. Esses são os pilares do Centro Profissionalizante Rio Branco (Cepro), entidade certificadora que promove a Socioaprendizagem Profissional de jovens em vulnerabilidade, de 15 a 19 anos, cursando ou tendo concluído o Ensino Médio da escola pública, de acordo com a Lei do Aprendiz (nº 10.097/2000).
“Eu estou encerrando meu contrato de aprendizagem na Protec, e indo embora para Curitiba com a minha família. Entrei aqui com 15 anos, por indicação de uma amiga, sem muito saber o que era. Tudo que eu aprendi me preparou e eu realmente apliquei no meu trabalho. Hoje eu me sinto muito confiante e com a carreira bem direcionada”, compartilha Matheus Gonçalves, de 17 anos.

Já são mais de 45 mil jovens formados. Conta com a parceria de aproximadamente uma centena de empresas parceiras, nacionais e multinacionais de pequeno, médio e grande porte. “Sinto que tenho muitas chances de ser efetivada. Eu me dedico muito, estou cursando a faculdade e focando no inglês. Eu gosto muito do que faço, quero trabalhar alguns anos, juntar dinheiro para estudar e me desenvolver na Irlanda. O CEPRO abriu a minha visão de mundo, e me ensinou confiar no meu potencial”, conta com os olhos brilhando a jovem Brenda Macedo, que trabalha no TI da IDEMIA.
A diretora Susana Penteado nos apresenta todo o espaço com orgulho e compartilhando as histórias dos alunos que vamos cruzando pelos corredores. O clima é de muita harmonia e acolhimento nas salas de aula, e também na festa junina que rolava no pátio. Ali encontramos uma jovem empreendedora, Kelly Cristina, conhecida por vender bolos de pote. “Minha mãe sente muito orgulho de mim, ela adora o CEPRO e está sempre por aqui, envolvida nas atividades. E foi aqui mesmo que a minha vida mudou, pois foi a partir da oportunidade de trabalho na REHAU, que a minha faculdade passou a fazer sentido, e me trouxe conforto financeiro. Eu consigo ajudar na minha casa, aprendi a administrar meu dinheiro. Empreender com os bolos também ajuda na renda, além de me permitir começar conversas com pessoas diferentes”, conta.
Inspirador ou não? Compartilhe sobre o CEPRO para que ele alcance ainda mais empresas e transforme a vida de muitos jovens da nossa cidade.
 
Por Bia Marques Diniz, curadora do Selo Cidadão 2019: Conexão e Emprego