Osasco terá espaço para acolher mulheres vítimas de violência

Anúncio foi feito pelo prefeito Rogério Lins, na semana passada. O espaço será uma espécie de abrigo provisório, que reunirá uma série de serviços sociais que ajudarão a mulher a resgatar sua vida social longe do agressor

139

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, participou na semana passada do 1º Fórum de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, e anunciou novas ações do Poder Público voltadas à proteção e garantias de direitos, entre elas a criação da Casa de Passagem da Mulher vítima de violência.

O espaço será uma espécie de abrigo provisório, que reunirá uma série de serviços sociais que ajudarão a mulher a resgatar sua vida social longe do agressor.

“Assumo o compromisso de no ano que vem implantar esse serviço na cidade. Além disso, por meio de uma emenda da vereadora Ana Paula Rossi, também compraremos um veículo que  servirá para o atendimento específico da mulher vítima de violência”, disse o chefe do Executivo, que anunciou ainda que em breve Osasco contará com um aplicativo que estará conectado ao Centro de Operações Integradas (COI), que possibilitará ao munícipe denunciar os mais variados tipos de violência.

O dispositivo  contará também com o chamado  “botão do pânico”, em que a mulher poderá acioná-lo para pedir ajuda.

“A responsabilidade de combater essas situações é de todos, porque o que às vezes começa com um xingamento, avança para o primeiro tapa e para coisas mais graves”, alertou o prefeito.

O Fórum abre a semana de ações de conscientização da sociedade em relação à violência contra a mulher e celebra os 13 anos de criação da Lei Maria da Penha no país. As ações ocorrerão em diversos espaços públicos, entre eles as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e escolas.