Mãos hidratadas: cuidados pós álcool em gel

Uso excessivo do produto exige cuidados especiais com a pele

O uso de álcool em gel nunca foi tão indicado quanto nos tempos atuais. Ele está entre os produtos recomendados para prevenir o vírus COVID-19. Porém, o uso excessivo do produto pode remover a camada de lipídeos responsável pela hidratação e proteção natural das mãos. Visto que essa camada é o que mantém a pele hidratada, com o tempo, o álcool em gel pode causar ressecamentos, vermelhidão e dermatites.

Para manter as mãos com a pele saudável, cremes hidratantes podem ser ótimos aliados, principalmente os orgânicos, já que eles diminuem os riscos de alergias ou outras irritações à pele. Esse é o caso do Creme Hidratante para as Mãos Souvie, que tem como base as manteigas de murumuru e cupuaçu, além de bioativos derivados da beterraba e do milho, responsáveis por hidratar profundamente a pele.

Outro diferencial do creme é o óleo de Castanha-do-Pará, rico em ácidos graxos, que age no tecido cutâneo, formando um filme que impede a evaporação de água da pele. Souvie também utiliza as vitaminas A, B, C, E e selênio, que somadas a outros componentes, reconstroem a película de proteção natural das mãos, além de revitalizar e hidratar.

O creme pode ser usado sempre após a aplicação de álcool em gel ou quando necessário para garantir que as mãos fiquem macias e hidratadas por mais tempo.