Segunda licitação da Linha 22-Marrom é publicada pelo Metrô

Novo certame envolve a seleção de empresa para realizar investigações geotécnicas, sondagens e mapeamento de redes de utilidade pública do futuro ramal entre Cotia e São Paulo

Metrô de São Paulo lançou nesta quinta-feira, 17, a segunda licitação envolvendo o projeto da Linha 22-Marrom, ramal que ligará a Zona Oeste da capital a Cotia. O novo certame se refere a seleção de empresa para realizar investigações geotécnicas, sondagens e mapeamento de redes de utilidade pública e tem leilão marcado para ocorrer no dia 15 de dezembro.

O levantamento é complementar à primeira licitação lançada no início de setembro, que prevê a execução do anteprojeto e estudos ambientais do ramal. Ou seja, os dados que serão obtidos no subsolo do possível traçado da Linha 22 será usado para o desenvolvimento do projeto preliminar do ramal, cujas características ainda estão em aberto. O Metrô decidirá se a nova linha será subterrânea ou elevada e qual o tipo de modal somente após o avanço desses estudos.

Entre as possibilidades está até mesmo desmembrar o traçado em dois, com uma linha de metrô pesado entre Granja Viana e Sumaré e algum tipo de modal de média capacidade no trecho Cotia-Granja Viana. A estimativa de demanda do ramal de 29 km é de 650 mil passageiros por dia. Vale lembrar que a Linha 22 surgiu como um monotrilho e depois foi pensada como um metrô tradicional, subterrâneo.

A Linha 22-Marrom terá conexões com a Linha 9-Esmeralda em Hebraica-Rebouças, com a Linha 4-Amarela em Faria Lima, com a futura Linha 20-Rosa na estação Teodoro Sampaio, com a Linha 2-Verde em Sumaré e com o Arco Oeste-Sul da CPTM em Monte Belo, caso o projeto mantenha esse traçado.

A sessão de recebimento de propostas para a licitação de anteprojeto foi marcada justamente para esta quinta-feira (17).

Fonte: Metrô CPTM

Artigo anteriorConsciência Negra: Cultura de Paz, artistas e representantes de matrizes africanas participam de sessão solene
Próximo artigoProgramação especial marcou a Caminhada pela Cultura de Paz e a Consciência Negra