Vestibulares à vista: saiba como se preparar para cada perfil de prova

Na reta final para os processos seletivos, o coordenador do pré-universitário do Colégio Rio Branco, Teo Sidarta, orienta sobre como se preparar para os diferentes vestibulares e seus formatos

No período de vestibulares, os estudantes se deparam com diversos perfis de prova: objetivas, discursivas, com uma ou mais fases e até com cobranças de conteúdo não tão tradicionais no Ensino Médio. Dessa forma, saber como se preparar para diferentes formatos, entendendo as características e peculiaridades dos processos seletivos é uma etapa essencial no caminho para a tão sonhada vaga na universidade.

Teo Sidarta, coordenador do pré-universitário do Colégio Rio Branco, dá orientações sobre como compreender esses diferentes tipos de provas em suas especificidades, também destacando que o estudante deve traçar seu próprio caminho com base em estratégias mais vantajosas.

Faça simulados e estude os mais variados modelos

“Pegue sempre as provas dos anos anteriores de determinado processo seletivo e realize simulados para conhecer o perfil de cada exame, atentando-se aos estilos de perguntas e respostas de cada um”, sugere o coordenador. “É preciso entender o que aquela avaliação espera do seu candidato”.

Porém, segundo ele, não basta apenas treinar questões, é preciso criar hábitos: “estudo é, acima de tudo, ritmo, portanto o ideal é simular a situação mais próxima da real, realizando simulados nos dias da semana e horários em que o próprio vestibular irá ocorrer. E por falar em cadência, é preciso que a rotina seja perene, obedecendo a um limite possível dentro da capacidade do candidato, sem excessos às vésperas, tampouco sem abstenção nos meses menos turbulentos”.

Outra dica é fracionar a prova da forma como se sentir mais confortável, dividindo-a em matérias ou áreas do conhecimento para responder às questões. Assim, é possível compreender os componentes e as melhores estratégias para realizá-la.

Crie conexões e reflita sobre os diferentes tipos de questões

Para estar preparado para qualquer situação de exame, Sidarta destaca a importância de fazer conexões e compreender a construção de diferentes perguntas: “se certa questão for sobre um conteúdo pouco estudado, o treinamento auxilia na construção de um raciocínio que pode ajudar o candidato a desenvolver melhor a resposta, ainda que não esteja tão confiante”.

O coordenador sugere, ainda, que o vestibulando olhe gabaritos elaborados por diferentes instituições após a realização de um simulado e, depois, refaça tudo novamente. “Ao refazer, o estudante entende o raciocínio por trás da resposta, o caminho a ser percorrido, ganhando mais recursos para encontrar diferentes meios de chegar a ela”, completa.

Além disso, é fundamental estudar vestibulares com diferentes abordagens – técnicas, reflexivas, interpretativas, objetivas ou subjetivas. Quando se entende os diferentes estilos e as grandes distinções entre os exames, a fluidez no momento da prova aumenta, pois as conexões ficam mais claras, desenvolvendo-se novas percepções.

Por fim, busque a identificação com a universidade

“Analisar o perfil das avaliações faz parte da preparação, mas é apenas uma etapa. É importante conhecer aspectos como, por exemplo, campus, corpo docente, currículo e atividades, para que o aluno desenvolva um sentimento de pertencimento à instituição”, afirma o coordenador do Colégio Rio Branco.

Para ele, “identificar-se é fundamental para uma experiência universitária rica e prazerosa, visto que o vestibular é um instrumento para ingressar nessa realidade”. Além disso, esse processo tem relação com o Projeto de Vida incluso no Novo Ensino Médio. Sidarta, então, conclui: “a prova é uma pequena etapa para o que é o Projeto de Vida se concretize”.

Artigo anteriorReceita Fit: brigadeiro saudável para a família
Próximo artigoPrograma ‘Mãe Cotiana’ alcança a marca de 2.100 enxovais de bebê entregues