“Queria muito que o meu circo, o nosso Circo Zanni, tivesse um terreno fixo e ficasse montado o ano todo. Adoraria isso! E que os nossos espetáculos pudessem sobreviver de bilheteria. Isso é um grande sonho”. Esta frase foi dita em 2012 pelo ator Domingos Montagner (foto ao lado), em entrevista exclusiva à Revista Circuito.

Mas quisera o destino que, em 2016, uma fatalidade acontecesse com o ator. Mas o seu legado continuou e, sete anos depois daquela declaração, o sonho – compartilhado com todos os demais que juntos formaram, em 2004, o Circo Zanni – se concretizou.

No dia 30 de novembro, o Circo Zanni estreou o seu novo centro cultural sob lona na altura do km 26 da Rodovia Raposo Tavares, no Jardim Fontana.

Com apoio institucional da Prefeitura de Cotia, por meio da Secretaria de Esportes, Cultura e Lazer, o local vem com a proposta de ser uma opção cultural circense, entre outros eventos, de forma acessível para a população da região, além de figurar como centro de formação artística. “Temos a proposta de sermos uma escola de circo, um espaço para diversos espetáculos, além de termos um viés de inclusão em todos os sentidos e fazermos parcerias com fundações, escolas e entidades para oportunizarmos o acesso ao circo”, explicou Erica Stoppel, uma das fundadoras do Zanni.

De acordo com Luciana Menin, outra fundadora, o Zanni nunca foi um projeto itinerante. “Nossa permanência nos lugares são duradouras, criamos vínculos por onde passamos e deixamos um legado”, ressalta. Em São Paulo, já ocupou importantes territórios da cidade em diversas temporadas, com apresentações no Parque Augusta, no Memorial da América Latina, no Shopping Raposo, em várias unidades do Sesc, no Parque do Povo, entre outros.

Criado em 2004, o Zanni visa resgatar a importância dos espetáculos circenses apresentados sob lona em centros urbanos. Reconhecido pela sua excelência artística, conseguiu incorporar características dos circos clássico e tradicional. São números aéreos, de acrobacia, de equilíbrio, de palhaçaria, entre outros, embalado pela música da banda Zanni. Sua arte encanta plateias, seduzidas pela magia e beleza dos espetáculos.

A programação que será desenvolvida no novo endereço prevê atividades como oficinas, cursos, palestras, aulas e, evidentemente, espetáculos. Com a nova empreitada, o grupo quer consolidar um espaço permanente, um equipamento cultural vivo. “Com a possibilidade de ter um local fixo para o desenvolvimento das atividades artísticas e pedagógicas e de difusão sistemática, pretendemos ao longo do tempo agregar artistas, formadores, jovens em formação e comunidade para usufruir do fomento à cultura do circo na sua mais ampla gama de possibilidades”, afirma Márcia Nunes, produtora do Zanni.

 

Por Juliana Martins Machado, com informações de assessoria

Artigo anteriorGestantes recebem enxoval gratuito em Carapicuíba
Próximo artigoJovens são grandes vítimas de acidentes com motos