Cotia viu, no último mês, os casos de coronavírus aumentarem 17,89%, de 5.935 para 6.997 confirmados. E os números podem aumentar: são 183 casos em investigação. Quanto aos óbitos, já são 259, um crescimento de 11,64% com relação aos números divulgados em 16 de dezembro.

CotiaCasos em investigaçãoCasos confirmadosCuradosÓbitos
1475.9355.577232
1836.9976.418259
24,49%17,89%15,08%11,64%

 

Carapicuíba e Embu em alerta

Já a vizinha Carapicuíba tem mais que o dobro de confirmados de Cotia: são 15.299 casos, um crescimento de 27,03% em relação aos números de dezembro. De óbitos, a cidade contabiliza 259 mortes.

Esses números e a taxa de ocupação hospitalar alta fizeram com que o Governo do Estado a colocasse em alerta, junto com outras 42 cidades e, entre elas, Embu das Artes. Por isso, a recomendação é que a Prefeitura determine a restrição total de atividades não essenciais para aliviar a pressão sobre hospitais públicos e particulares.

CarapicuíbaCasos em investigaçãoCasos confirmadosCuradosÓbitos
3.35812.04411.108398
72015.29912.661435
-78,56%27,03%13,98%9,30%

 

Fase amarela

Em coletiva na tarde desta sexta-feira (15), o Governo do Estado anunciou a nova classificação do Plano SP. A região de Marília está na fase vermelha e outras 10 na etapa laranja, enquanto as cidades da região e a capital paulista seguem na fase amarela.

A fase permite 40% de ocupação para atividades não essenciais, com expediente de até dez horas diárias para restaurantes e 12 horas para as demais. O atendimento presencial deve ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas devem fechar ao público mais cedo, às 20h. Eventos que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

O Centro de Contingência também recomendou que todos os municípios endureçam regras para reuniões de trabalho em locais fechados, como limite máximo de 25 pessoas e distanciamento mínimo de 1,5 metro. Eventos sociais e familiares também devem ser evitados devido ao recrudescimento da pandemia. O uso de máscaras em todos locais de acesso público é obrigatório.

Uma nova reclassificação está prevista para o próximo dia 22.

 

Por Juliana Martins Machado