Janeiro e fevereiro são os meses de volta às aulas, e o bolso dos papais e mamães sofre com gastos em materiais escolares. Apesar do estresse na busca por objetos novos e preços atrativos, é possível aproveitar a ocasião para ensinar boas lições de responsabilidade ambiental e sustentabilidade aos pequenos.

Visando conscientizar a população sobre reciclagem, a Logística Ambiental de São Paulo — Loga, responsável pela coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos domiciliares e de saúde na Região Noroeste da cidade de São Paulo, orienta que o primeiro passo é demonstrar que a reutilização é importante mesmo em objetos pequenos, como borrachas, canetas e lápis.

“O conceito de usar materiais até que não seja mais possível deve ser passado às crianças e adolescentes, para que se tornem adultos mais responsáveis, conscientes e que auxiliem na preservação do meio ambiente”, afirma Érika Ravene, responsável pela área de Conscientização da Loga.

Outra dica interessante é buscar por cadernos, livros e folhas construídos a partir de materiais recicláveis. “A reciclagem de papéis cresce bastante no Brasil. Estima-se que grande parte deles retorne ao processo produtivo, salvando várias árvores de serem derrubadas”, explica Érika.

Quando a criança insistir em trocar os materiais escolares, o que normalmente ocorre com as mochilas, já que estas têm estampas que podem ficar ultrapassadas, também é possível reutilizar as bolsas e lancheiras antigas. Em uma viagem, por exemplo, elas são capazes de armazenar roupas e até alimentos. Se não for mais usar, o ideal é doar para instituições de caridade, já que os objetos ainda podem ser muito úteis.

Antes de sair de casa para as compras, sempre vale uma conversa franca com os pequenos sobre a importância dos “5 R’s”: reciclar, reduzir, repensar, reutilizar e recusar velhos hábitos, pensando sobre suas reais necessidades no cotidiano.