ARTESP divulga vagas de empregos do Programa de Concessões Rodoviárias

As 20 empresas responsáveis pela operação, manutenção, serviços e investimentos nos 9,8 mil quilômetros da malha concedida fecharam o ano de 2019 com um total de mais de 25,7 mil empregos gerados, e as oportunidades de uma vaga surgem a cada nova obra ou ciclo de investimentos das concessionárias

A ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) está divulgando em seu site e redes sociais as oportunidades de emprego oferecidas pelas concessionárias que integram o Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo.

As 20 empresas responsáveis pela operação, manutenção, serviços e investimentos nos 9,8 mil quilômetros da malha concedida fecharam o ano de 2019 com um total de mais de 25,7 mil empregos gerados, e as oportunidades de uma vaga surgem a cada nova obra ou ciclo de investimentos das concessionárias.

No site da ARTESP foi criada uma página com os links para os “trabalhe conosco” das 20 concessionárias do programa que é possível verificar as vagas que estão abertas, e também cadastrar o currículo para futuras oportunidades.

Redes sociais

A ARTESP também passou a divulgar em suas redes sociais as vagas oferecidas. Entre as oportunidades já publicadas há empregos na área de engenharia civil e comunicação social, por exemplo.

Também são comuns anúncios de vagas nas áreas operacionais e administrativas das empresas, entre outros setores. Os empregos estão sendo divulgados nas páginas da ARTESP no Facebook e Linkedin.

Nova concessão

Nas próximas semanas, há previsão de a ARTESP iniciar a divulgação das vagas que serão oferecidas pela concessionária que venceu a licitação do Lote Piracicaba – Panorama.

O leilão do novo lote, que tem mais de 1,2 mil quilômetros de rodovias, foi realizado em 8 de janeiro de 2020.

A previsão é de que o contrato de concessão seja assinado ainda no primeiro semestre. A concessão de 30 anos prevê investimentos que ultrapassam R﹩ 14 bilhões para a infraestrutura rodoviária que atravessa São Paulo, desde a região de Campinas até o extremo oeste do Estado, na divisa com o Mato Grosso do Sul, abrangendo 62 municípios. Somente no primeiro ano de concessão, a previsão é de criação de seis mil empregos diretos e indiretos, subindo para sete mil a partir do segundo ano.