A partir desta terça-feira (7/4), Marcelo Tas passa a entrevistar os convidados remotamente e focar em temas que orbitam a pandemia. Em abril de 2009, o jornalista foi o nosso entrevistado de capa e uma de suas falas chama bastante atenção dada a atualidade: “estamos mudando de estado. Não adianta ser mesquinho, preconceituoso, controlador. Temos que entender o que está acontecendo em grupo. (…) Estamos cada vez mais próximos de uma ação global”.

 

Em função do coronavírus, o #Provoca apresenta um novo formato a partir desta terça-feira (7/4). Agora, no #ProvocaEmCasa, Marcelo Tas passa a entrevistar os convidados remotamente e focar em temas que orbitam a pandemia e a quarentena. No primeiro episódio, brasileiros que moram na Itália e em Portugal, países fortemente afetados pela Covid-19, dão um panorama pessoal da situação da Europa atualmente.

Taís Takehara, “nerd faixa-preta”, mineira de Santa Rita do Sapucaí e empreendedora de tecnologia da educação. Ela mora em Milão, com marido e uma filha de 19 anos. O #ProvocaEmCasa também conta com a participação da cantora Barbara Rodrix e de seu marido, o jornalista Rodolfo Rodrigues. Com um filho de 2 anos de idade, Thom, em dezembro, eles se mudaram para Lisboa em busca de uma nova vida.

Nessa nova fase, o programa conta com participação direta do público, que, além dos tradicionais tweets, poderá enviar vídeos, também via Twitter, respondendo algumas perguntas feitas antecipadamente pelo apresentador. O apresentador, Marcelo Tas, fala um pouco sobre a novidade: “#ProvocaEmCasa é o formato que desenhamos com a direção da TV Cultura para poder manter a missão do programa: compartilhar aprendizados e trazer perguntas provocativas para o momento em que estamos trancafiados, cheios de dúvidas e com medo do que virá”. O programa vai ao ar às 22h15, na TV Cultura e no YouTube.

Relembrando – Em abril de 2009, quando comemorávamos 9 anos, Marcelo Tas foi o nosso entrevistado de capa. Na época, o jornalista recebeu nossa equipe com simpatia e nos cativou ainda, falando da evolução na tecnologia e de como isso gera rapidez na comunicação. Ao reler agora esta entrevista exclusiva, uma de suas falas – dita há onze anos – chama a atenção pela atualidade: “eu, você, as empresas, as escolas, o jornalismo, as indústrias de discos, a TV, todos, estamos vivendo uma transformação como a que a água vira vapor. Estamos mudando de ‘estado’. Não adianta ser mesquinho, preconceituoso, controlador. Temos que entender o que está acontecendo em grupo. É impossível uma pessoa só controlar uma casa, uma empresa, um país. Não é com controle que resolvemos o dilema que vivemos. Estamos cada vez mais próximos de uma ação global. O que muda é o papel de cada um, que é cada vez mais forte dentro da sua comunidade. E não é mais a comunidade física que conta é a comunidade daquele que pensa como você. E essa comunidade é capaz de mudar muita coisa”.

Por Juliana Martins Machado, com informações da assessoria