Customização e reutilização de peças de roupas antigas estão em alta

Peças seminovas produzem 400% de emissão de carbono para o meio ambiente quando jogadas fora

De acordo com os dados divulgados pela HBS, uma peça de roupa que foi usada menos de cinco vezes e é descartada em um mês produz cerca de 400% de emissão de carbono a mais que uma peça que foi mantida guardada por um ano e usada 50 vezes.

Com o intuito de diminuir as emissões de carbono, cada vez mais pessoas e até marcas, tem se preocupado de forma mais consciente e muitas vezes, até reutilizam várias peças antigas. Com a alta procura por serviços de customização e consertos de peças, muitas empresas chegaram ao mercado oferecendo o serviço, como é o caso da Tem Jeito, rede de franquias especializada em costura, conserto e customização de peças de roupas.

Presente no mercado há 06 anos, a rede foi fundada com o intuito de entregar um bom atendimento, serviços de alta qualidade realizados em um curto tempo. “As pessoas a cada dia estão mais preocupadas com o meio ambiente, e também com o dinheiro gastos em suas amadas roupas, e para evitarem perde-las, optam na contratação de uma costureira para adapta-las para o uso novamente”, comenta o empresário Evandro de Macedo Filho, fundador da rede.

Com a alta procura por esses serviços, a Tem Jeito, lançou os serviços Costureira Delivery e a Costureira no Condomínio, onde uma funcionária da rede vai até o cliente, coletar as peças que precisam de reparos e depois de prontas, a devolvem. O serviço deu tanto sucesso, que em 2020, em plena pandemia, o Costureira Delivery teve um crescimento de 300% nos pedidos. “O crescimento do serviço se deve pelo fato de que com a Costureira Delivery, as pessoas não precisam sair de suas casas para terem suas roupas inovadas e ainda evitam aglomerações nas ruas”, comenta.

Os serviços de costura, customização e consertos de roupas da Tem Jeito estão disponíveis nas unidades de Campina Grande, Juazeiro do Norte e João Pessoa.

Artigo anteriorTransição capilar: saiba como resgatar a estrutura natural dos fios
Próximo artigoCotia passará a cobrar taxa do lixo em 2022