Mobilidade da Raposo Tavares: conheça as fases do projeto

Conversamos com o Secretário de Habitação de Cotia, Sérgio Folha, que esteve à frente dos trabalhos e detalhou as etapas do projeto que promete desafogar o caótico trânsito da Raposo Tavares

Com a verba de R$ 96 milhões liberados pelo Governo do Estado, serão realizadas intervenções entre os km 21,8 e 27,6 da Rodovia Raposo Tavares, divididas em três fases.

O projeto executivo já foi protocolo no DER e a licitação – toda por conta do Estado – será lançada nos próximos dias. A expectativa é que as obras sejam iniciadas em até 90 dias. E a finalização prevista para daqui dois anos.

Até a conclusão, o ponto nevrálgico será lidar com a paciência das pessoas, de acordo com o secretário de Habitação, Sérgio Folha, um dos que lutou ao longo destes últimos anos para o projeto sair do papel. “Temos que ter em mente que já tivemos tantos problemas e que o vier daqui para frente é temporário e são melhorias”, justificou em entrevista exclusiva à nossa equipe.

Na primeira fase das obras, haverá intervenção nas proximidades do km 24,8, onde será construída uma nova transposição sobre a rodovia. Este viaduto ligará a Rua Mazel à Rua dos Manacás, passando a funcionar como uma marginal leste e dando acesso à rua Mesopotâmia, onde fica o Parque Cemucam. A medida será complementada com a implantação de uma nova ligação entre a Rua dos Manacás e a Avenida das Acácias e implicará na remoção da passarela existente naquele local. No trevo do km 26, será feita uma remodelação das alças do trevo parcial existente (projeção da Estrada Embu), além de nova opção de viário municipal.

A segunda fase do projeto abrange três pontos. A implantação de uma via marginal e acesso entre os km 27,6 e 27 (Avenida Sir Henry Welcome), além de ampliação e melhorias na própria pista, próximo ao entroncamento com a Estrada da Capuava.
Entre os km 25 e 26, sentido capital, será implantada uma faixa adicional da alça de entrada até a marginal que se inicia no km 25. Uma nova via de ligação entre a Estrada Velha de Cotia e a Estrada Embu. Mas uma das principais intervenções desta fase será nas proximidades do km 26,5, onde uma transposição sobre a rodovia deve ser construída, ligando a Avenida José Giorgi à Raposo. “Deste modo, os moradores do São Paulo II e imediações não mais precisarão rodar até o km 30 para acessar a pista no sentido capital”, explica Sérgio Folha.

A terceira e última fase prevê grandes reformulações nas proximidades da Granja Viana. Do km 22 ao 24, será aberta uma nova marginal para dar mais fluidez ao trânsito local da Granja Viana. Rua José Félix de Oliveira e Avenida São Camilo tornam-se mão única.

Por Juliana Martins Machado

Artigo anteriorEdição 257: setembro de 2021
Próximo artigoSaúde cria escala nas UBS’s para aplicar 2ªs doses Coronavac atrasadas