Péricles lança música em parceria com Projota

A música tem poder, e Péricles, no decorrer dos seus 34 anos de carreira, sabe muito bem onde ela é capaz de chegar. Com isso em mente, o artista lançou nesta sexta-feira, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, a música “Homem Invisível” que conta com a participação do rapper Projota. “Essa é uma canção linda que possui uma mensagem muito importante, por isso, queríamos um nome que a levasse ainda mais longe, foi aí que o Projota surgiu. Eu já o conhecia há algum tempo e sempre admirei seu trabalho. Ele é um artista incrível e talentosíssimo. Fiquei muito feliz quando ele pôde participar do projeto do meu filho Lucas Morato e mais feliz ainda quando ele me citou na canção ‘Muleke de Vila’. Isso nos deixou ainda mais próximos para que essa parceria desse certo”.

Projota conta que cantar com o Péricles era um sonho de adolescente, de quando passava a tarde com os amigos ouvindo Exaltasamba pensando em um dia conhecê-lo. “Confesso que quando recebi o convite imaginava que seria para uma música romântica, quando vi que era para uma canção de mensagem, me senti extremamente lisonjeado. Tive a chance de falar para o Péricles o quanto essa música e a mensagem dela mexem comigo e só de ter a oportunidade de escrever linhas sobre esse tema, em cima desse instrumental maravilhoso, foi muito especial”.

 

Péricles explica que a composição de Prateado, Luiz Claudio Picolé, Braga e o rap do Projota é um brado por respeito vindo das ruas, daqueles que só são lembrados quando fazem gol ou quando cantam na avenida, mas que não têm voz para galgar melhores lugares na sociedade. “Escolhemos o Dia da Consciência Negra para o lançamento de ‘Homem Invisível’ para que essa música seja também uma ferramenta de luta por melhores condições de vida para o povo menos favorecido, que em sua maioria é o povo negro. Temos muito o que comemorar, mas a luta não está vencida ainda”.

 

Relembrando

Em dezembro de 2018, Projota abriu as portas de sua casa na Granja para a nossa equipe e, em uma entrevista exclusiva, falou sobre sua música, poesia e sobre o futuro do rap e como o estilo chegou às altas rodas. “A música, em si, já tem essa capacidade de unir as pessoas, e essas pessoas que se encontram por minha causa, essas que eu represento, eu entendo total”, comentou na época. E, claro, não poderia deixar de contar como chegou à Granja Viana, bairro que ele descreve assim: “aqui tem uma energia mais feliz”.