Região ganha Associação Desportiva Cultural dos Surdos

ADCSC busca promover os direitos dos surdos, através do desenvolvimento integral, integração na sociedade, acessibilidade e equidade de direitos a seus participantes por meio do esporte e da cultura

O dia 10 de novembro foi marcado como Dia Nacional Prevenção e Combate à Surdez, problema que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), afeta mais de 800 milhões de pessoas ao redor do mundo. No Brasil, dados da Sociedade Brasileira de Otologia apontam que, de cada mil crianças nascidas, entre três e cinco já possuem algum problema auditivo. Por meio de políticas públicas eficientes, é possível mitigar os impactos dessa doença na população e inclui-los.

Aqui na região, um grupo de jovens surdos, liderados por Stefano Barbuzza e Claudio da Silva Junior, buscando reconhecimento do potencial como atletas e cidadãos, teve uma ideia: criar um time de futebol. “Amamos o esporte e entendemos que ele pode oferecer oportunidades de desenvolvimento pessoal e inclusão social”, justificam os fundadores do Zeus FC. O ano era 2016 e a ideia, que surgiu com dois amigos, cresceu e mais pessoas foram se juntando ao grupo. E agora, em 2021, fundaram uma entidade sem fins lucrativos, a Associação Desportiva Cultural dos Surdos de Cotia. “Cotia é nosso território, faz parte de nossa identidade. Queremos acolher e desenvolver os surdos de nossa cidade”, contam.

Time de futsal masculino

A ADCSC tem por missão promover os direitos dos surdos, buscando o seu desenvolvimento integral (físico, emocional e intelectual), integração na sociedade e acessibilidade e equidade de direitos a seus participantes por meio do esporte e da cultura. “Oferecer oportunidades, esta é a missão da ADCSC seja através do esporte, cultura, educação ou lazer. A inclusão na nossa sociedade está longe de ser realidade. É preciso uma rede de apoio para estes jovens”, justifica a mãe de um deles, Maria A Schleier, presidente da entidade.

De que modo? Ela explica que são quatro os objetivos: “formação de seleção esportiva para surdoatletas em diversas modalidades para participação de campeonatos e torneios nacionais e internacionais; o desenvolvimento de projetos e iniciativas de informação e conscientização do público sobre a surdez; apoio e incentivo ao cidadão surdo através de atividades que promovam a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e cultura surda; e realização de eventos para integração e fortalecimento da comunidade surda”.

Em poucos meses de fundação, a entidade já realizou encontros de formação dos associados – que hoje são oito – na área do Terceiro Setor para melhor atuação da ADCSC, além de treinos esportivos de time de futsal para representar a cidade de Cotia em campeonatos. Já está afiliada a CBDS -Confederação Brasileira de Desportos de Surdos e FDSESP – Federação Desportiva de Surdos do Estado de São Paulo.

No momento, estão tentando captar recursos para participação em diversos torneios, como surdolimpiadas. “Um evento pouco conhecido e que será realizado no Brasil, em 2022”. “Queremos fazer muito mais. Times de vôlei, futsal feminino e basquete, curso de LIBRAS, atividades culturais e eventos estão nos projetos futuros”, finaliza a presidente.

Quer ajudar?
Entre em contato pelo e-mail [email protected] ou via WhatsApp: (11) 9 6336 2248.

Por Juliana Martins Machado

Artigo anteriorCalçados para o verão: confira o que estará em alta na estação mais quente do ano
Próximo artigoAdvogado Ricardo Rodrigues dos Santos defende uma OAB unida, respeitada e valorizada