Arthur vai para a França: conheça a história do garoto aprovado em três universidades europeias

Aos 19 anos, Arthur Moraes, aceito em três universidades francesas, está trabalhando e realizando uma rifa para arcar com os custos da viagem e dos estudos.

Arthur Moraes nasceu no distrito do Capão Redondo, em São Paulo, e com 10 anos mudou-se para Natal, capital do Rio Grande do Norte. Oito anos depois, voltou a São Paulo para cursar sistemas de informação na Universidade de São Paulo (USP). Foi quando descobriu que havia sido aceito em três universidades da França, lugar onde sempre sonhou em estudar.

O garoto, que tem apenas 19 anos, conta que quem fez nascer seu interesse em ir para o exterior foi sua tia, Maria da Paz, que lhe ensinou francês. “Minha tia sempre investiu e acreditou muito em mim. Ela ainda mora em Natal, mas a gente sempre joga xadrez pela internet”, relata.

Arthur passou na Universidade de Paris (UFR Informatique), na Universidade de Estrasburgo e na Universidade Paris-XIII (Sorbonne Paris Nord). No final de agosto, irá embarcar nessa nova jornada. Fará uma dupla graduação, especializando-se em tecnologia da informação e japonês.

“Eu me apaixonei. Sempre quis estudar e ser um cidadão do mundo. Sempre me interessei pelo Japão, tanto pela cultura quanto pela parte acadêmica. Lá tem um ponto de vista diferente, não ocidental e a área de TI é muito avançada. Gosto de estudar. Sou de exatas, acho. Gosto de entender como as coisas funcionam, gosto de cálculo, de procurar soluções, desenvolver aplicativos, jogos…”, compartilha.

Além de português e francês, Arthur é fluente em inglês, espanhol e também fala japonês e norueguês. Ele conta que sempre se interessou por línguas estrangeiras e que sua história com o norueguês começou de uma forma curiosa: no início do Ensino Médio, quis ter uma língua secreta para conversar com amigos. Na época, gostava de uma série norueguesa chamada Skam e, lendo, descobriu que, para falantes do inglês, a adaptação não era difícil. O garoto então resolveu montar um clube de norueguês em sua escola, onde passou a aprender a língua junto a seus amigos. 

Arthur Moraes passou em primeiro lugar no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) para o curso de geologia. Foi finalista na Olimpíada Nacional de História do Brasil e medalhista de prata na Olimpíada Brasileira de Geografia. Em 2019, além de sistemas de informação na USP, passou em engenharia civil na Unicamp.

Em entrevista, Arthur disse: “eu quero ir para a França porque sempre foi meu sonho ir além, provar que eu consigo e posso crescer através da educação e trazer um mundo melhor, principalmente para meus pais”.

As aulas da Universidade de Paris começam dia 1° de setembro. Arthur conta que Diana, sua mãe e Moraes, como é conhecido seu pai, “sempre foram muito batalhadores” e que o apoiam bastante. Considerando-se a diferença entre o Real e o Euro, para arcar com os custos da mudança e dos estudos, o garoto está trabalhando como garçom e rifando um Kindle, dispositivo digital de leitura. O sorteio será realizado dia 15 de agosto em seu Instagram e também são aceitas doações via PIX.

“É um mundo totalmente novo! Estou indo para um lugar que eu nunca fui, estudar em uma universidade conceituada que eu admiro muito. Espero estudar bastante, mergulhar e aproveitar ao máximo todas as oportunidades que aparecerem para mim. Acho que vai ser uma experiência muito boa”, diz Arthur.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Giovana Lins Barbosa

Artigo anteriorProjeto de Lei propõe fornecimento de certidões em Braille nos cartórios de registro civil de Cotia
Próximo artigoFazenda disponibiliza mais um serviço on-line para contribuinte de Cotia