Mais uma vez, o metrô de Cotia volta a figurar no imaginário dos moradores de Cotia que sonham com transporte coletivo de qualidade, ágil e seguro.  Isso porque o presidente da Companhia do Metropolitano de São Paulo, Silvani Pereira disse em uma rede social, na sexta-feira, 2 de outubro, que a linha 22 será objeto de replanejamento pelo governo do estado.

O projeto da Linha 22-Bordô do Metrô consiste em uma ligação entre uma futura estação chamada de Rebouças na avenida de mesmo nome, até a cidade de Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo. O novo eixo metroviário é bastante aguardado pelos moradores que moram em residências às margens da Rodovia Raposo Tavares, via que servirá como direção para o eventual novo ramal.

Resta saber se, quando o presidente disse que haveria um replanejamento, ele não estava querendo dizer que iria tirar definitivamente do projeto uma vez que ele tramita desde 2006 e já passou por várias fases e especulações. Mas a tão sonhada linha 22 bordô que foi notícias várias vezes aqui na Circuito nem aparece mais nos relatórios de projetos da companhia. O Relatório Integrado de 2019 que contem o esboço mais atual dos futuros projetos, deixou de mostrar futuras ligações já conhecidas em outros documentos, o que indica que podem ter sido descartados, terão alguma tipo de alteração, ou então, serão apresentadas em outro momento, após a conclusão desta malha metroviária dos sonhos.

Em abril, o Via Trolebus já havia revelado que a ligação não é mais considerada como prioritária pela administração estadual, mas ainda continua no planejamento da rede futura de transporte. “O trecho entre as estações Morumbi e São Paulo-Morumbi (Linha 4-Amarela) da Linha 17-Ouro, assim como a Linha 22, continuam no planejamento da rede futura de transporte. O mapa divulgado no Relatório Integrado 2019 apresenta as linhas consideradas prioritárias, segundo o plano plurianual de investimentos do Metrô”, disse em nota o Metrô. No entanto, fontes de lá dentro já disseram que esse projeto não sai do papel antes de 2050.

Por Sonia Marques, com informações do Via Trolebus

Artigo anteriorCentro de Combate ao Coronavírus de Cotia encerra as atividades
Próximo artigoDefesa Civil do Estado emite alerta de calor intenso