Eslovênia: passeios para todos

Relato de nossa colunista Debora Marcolin sobre sua viagem à Eslovênia.

A Eslovênia é conhecida basicamente pela sua beleza natural.

Hoje em dia é destino de europeus que procuram hiking e trekking em locais de natureza bastante preservada, sem ter que atravessar o mundo.

As paisagens são deslumbrantes, desde os Alpes Julianos, um pequeno pedaço de mar Adriático, lagos, trilhas bem marcadas, até trekkings mais selvagens.

O número de trilhas é enorme e algumas delas com “huts” ou “campings” no alto das montanhas, que eventualmente oferecem comida típica da região para facilitar a aventura.

Mas este não era nosso objetivo, então partimos para uma viagem de cunho mais cultural.

Ljubiana, a capital, é uma pérola.

Várias pontinhas branquinhas cruzam o centro da cidade que estava abarrotada de gente, aproveitando um belíssimo dia de sol, ocupando praças e restaurantes e assistindo a apresentações de música e as mais variadas performances.

Subimos de bondinho até o castelo, que não impressionou muito, mas que valeu pela vista lá de cima.

No dia seguinte num percorrido de carro visitamos a caverna Postojnska, que achei meio sem graça, pois, depois de uma longa espera numa fila imensa, ela foi toda percorrida num trenzinho, com um monte de criança exaltada e berrando o tempo todo.

Logo depois nos dirigimos ao castelo Predjama.

Este sim, muito bacana. Foi construído inicialmente no século XIII. Destruído e reconstruído nos séculos posteriores, adquirindo seu formato renascentista atual no século XVI.

Está estrategicamente incrustado na boca de uma caverna na base de uma imensa escarpa, protegendo o local de ataques inimigos. O seu interior é sem sofisticação mas dá a exata medida do que era viver na era medieval nestas paragens.

Existe uma fenda natural na parte posterior da montanha que leva à uma saída secreta a vários metros dali.

Muitas lendas são contadas com relação a esta passagem secreta…

Fomos então ao famoso Lago Bled, que dizem ser um dos lagos mais lindos do mundo.

É realmente muito bonito.

Um importante destino turístico, tem atividades ao redor do lago todo, com hotéis, restaurantes, passeios de bicicleta, tobogãs, trenzinho etc.

Mas nem nos aproximamos destas atividades todas.

Preferimos ficar observando a beleza ao redor deste lago de um azul intenso, imerso num entorno montanhoso, onde pode-se avistar o Castelo medieval de Bled no alto de um penhasco, e uma charmosa ilhota no meio do lago, onde tem uma igrejinha e um pequeno museu.

Para atingir esta ilha existem vários barquinhos que levam e trazem. Ou, pode-se alugar um barco a remo e ir no braço mesmo…

A Eslovênia é pequena mas com muitas possibilidades de passeios para todos os gostos e idades. Eu diria que é um local onde pode-se pensar em ficar uma temporada, como um local de férias mesmo 🙂

 


Debora Patlajan Marcolin, médica, 62 anos, muito curiosa com relação a diversidade cultural do nosso planeta. Viajo desde que me conheço por gente e tudo me atrai. Desde a minha vizinhança pobre de Carapicuiba até as cerimonias fúnebres de Tana Toraja na Indonésia, passando por paraísos naturais como o pantanal mato-grossense e deserto do Jalapão. Já conheci por volta de 75 países e não paro de projetar novos destinos. Entendo que para se viajar é preciso estar de peito aberto e abandonar todo tipo de preconcepção, que com certeza, a viagem vai te provocar profundas mudanças internas e gosto pela vida. Autora do blog A Minha Viagem.