Empreendimento próximo à Fazendinha causa preocupação e granjeiros fazem petição pública

Empreendimento entre os residenciais Fazendinha e Vila Velha causa preocupação e mobiliza granjeiros. A Petição Pública tem como objetivo direcionar o Ministério Público para que apure e constate a regularidade dos estudos de impacto de vizinhança e de tráfego/mobilidade que esse empreendimento irá gerar na região. Assine!

Conforme já noticiamos, estão à venda os apartamentos de 1 e 2 dormitórios do empreendimento Villa Nova Fazendinha, na Estrada da Fazendinha, 2158, entre o bolsão da Fazendinha e o residencial Vila Velha, em um terreno de 10.800 m2. Prometendo um “condomínio clube” com pelo menos cinco torres de 21 andares com oito apartamentos por andar, mais três níveis de estacionamento, área de lazer com piscinas adulto e infantil, quadras, academia, salão de festas, playground e brinquedoteca, além de área comercial, escritório de coworking, lavanderia coletiva, 1 ou 2 vagas de estacionamento e apartamentos de um ou dois dormitórios com metragens que vão de 35 a 54m2, o empreendimento está trazendo grande preocupação aos granjeiros.

Quais serão os impactos de um empreendimento como esse na vizinhança? Uma conta rápida já dá a dimensão do problema: 21 andares x 8 apartamentos são 168 apartamentos por torre. Multiplicado por 5 são 840 apartamentos! Pior, no estande de vendas já se fala que cinco torres serão só na primeira fase do empreendimento e que o mesmo, completo, terá 15 torres! Nesse caso, seriam 2520 novas unidades habitacionais! Se cada apartamento tiver um auto na garagem serão no mínimo mais 2520 carros a mais no trânsito da região. Há um estudo de impacto deste empreendimento sobre a vizinhança da região?

Área onde será construído o Vila Nova Fazendinha

Por isso, alguns movimentos de moradores estão se organizando para entrar com uma representação no Ministério Público para tentar evitar impactos negativos ao meio ambiente e no trânsito da região e fizeram uma Petição Pública online com esse fim.

“Há fundado receio quanto aos impactos negativos que um empreendimento de tais proporções vai causar na vizinhança e no trânsito, especialmente numa área carente de infraestrutura adequada, sem saneamento básico e com vias de acesso já subdimensionadas, principalmente a Av. São Camilo em direção à Raposo Tavares. Essa Petição Pública tem como objetivo direcionar o Ministério Público para que apure e constate a regularidade dos estudos de impacto de vizinhança e de tráfego/mobilidade que esse empreendimento irá gerar na região. Entendemos que o desenvolvimento e o direito à moradia não deve impactar negativamente a mobilidade urbana e a qualidade de vida da população que já reside nessa região e dos que utilizam as vias ao seu redor, cabendo a nós acompanhar e fiscalizar para que não sejamos prejudicados com empreendimentos que não respeitem tais direitos”, explicam.

Já foram colhidas mais de 2500 assinaturas e a meta são 4 mil. Assine!

Artigo anteriorCasal da região faz sucesso no YouTube
Próximo artigoDiretora-assistente do Colégio Rio Branco responde: qual a importância da educação infantil na pandemia?